"Life feels like a midnight ride..." - SOAD

28 de dezembro de 2015

Wrap Up 2015 - Os desafios (quase) realizados

O ano já está nos seus finalmentes e está na hora de olhar para trás e recordar as maravilhosas histórias que conheci ao longo do ano.

Por norma não costumo ser uma leitora muito consistente - tanto me apetece ler um livro de terror psicológico como, logo a seguir, pego num livro mais juvenil e fofo ou posso ler três ou quatro livros numa semana e logo a seguir passar dois meses com a mesma história -, o que me fez sempre afastar de maratonas, desafios e afins. No entanto, este ano decidi experimentar um desafio Goodreads e, entretanto, encontrei um desafio literário no 9GAG que, apesar de ter imensos pontos, me pareceu divertido e fazível e decidi fazê-lo também. Sem pressões.

Ora bem, rescaldo dos desafios: Goodreads foi superado, 9GAG foi só batotas!

Para o Goodreads decidi ser mais ponderada e começar com um número modesto - 20 livros. Quando me propus ao desafio ainda não sabia, mas já calculava, que o ano iria ser tramado (não foi tramado, foi péssimo mesmo!!), por isso até estou bastante contente por ter conseguido ler 27 livros (28 a contar com a leitura actual que será terminada ainda antes do ano acabar).


Quanto ao desafio da desgraça, bem... foi uma desgraça! Já sabia que iria haver dois ou três pontos que não iriam ser feitos mas, tendo em conta os livros que tinha na estante para ler, o desafio augurava boas hipóteses. A coisa até arrancou bem mas descambou muito rapidamente e o resultado é um desafio cheio de batota (o mesmo livro vai dar para vários pontos). Siga!

1 - Um livro com mais de 500 páginas
A Rainha no Palácio das Correntes de Ar, de Stieg Larsson. Foi o maior livro que li este ano, com 720 páginas.
2 - Um romance clássico
O Coração é um Caçador Solitário, de Carson McCullers. Escrito nos anos 40, é considerado um clássico americano do século XX (e com motivos para isso).
3 - Um livro que se tornou um filme
O Marciano, de Andy Weir. Ainda não vi o filme, que foi lançado este ano, e estou um bocadinho na dúvida se veja ou não (o livro é tão, mas tão bom, que não quero ficar desiludida).
4 - Um livro publicado este ano
O Caçador do Verão, de Hugo Gonçalves. Muito contente por o ter lido.
5 - Um livro com um número no título
Às Dez a Porta Fecha, de Alice Vieira.
6 - Um livro escrito por alguém com menos de 30 anos
O Coração é um Caçador Solitário. Pelo que vi, Carson McCullers tinha 22 anos quando escreveu este livro.
7 - Um livro com personagens não-humanas
A Estranha Vida de Nobody Owens, de Neil Gaiman. Ora, encontrei fantasmas, hárpias, homens-sombra e outros seres sobrenaturais.
8 - Um livro engraçado
A Segunda Vinda de Cristo à Terra, de João Cerqueira. Uma sátira a Portugal cheia de momentos de riso fácil.
9 - Um livro de uma autora
Morto Para te Ver, de Cátia Santiago. Escolhi este porque adorei a escrita da autora, que não conhecia.
10 - Um mistério ou um thriller
Inferno, de Dan Brown. Adoro a capacidade do autor em criar ambientes cheios de suspense com mistérios e conspirações ancestrais.
11 - Um livro cujo título seja uma única palavra
Observações, de Jane Harris. A-ha, um livro lido de propósito para este desafio!
12 - Um livro de contos
Insonho, Durma Bem, de Valentina Silva Ferreira, Carlos Silva, Vítor Frazão, André Pereira, Francisco J. V. Fernandes, Ana Luiz, Miguel Raimundo, João Rogaciano e Inês Montenegro.
13 - O primeiro livro de um autor popular
Os Homens que Odeiam as Mulheres, de Stieg Larsson. Apesar do autor já ter falecido, a sua trilogia irá perdurar no tempo.
14 - Um livro de não-ficção
Rainhas Malditas, de Cristina Morató.
15 - Um livro passado noutro país
Qual escolher? A História de Lupita, de Laura Esquivel, passa-se no México.
16 - Um livro de um autor que adores e que ainda não tenhas lido
Inferno. Adoro Dan Brown (o meu guilty pleasure!).
17 - Um livro recomendado por um amigo
Uma Noite em Lisboa, de Erich Maria Remarque. Tenho um camarada de livros no meu trabalho que tem gostos literários totalmente opostos aos meus. Um dia em conversa falou-se neste livro e o comentário foi algo do género: "Mas tu ainda não leste este livro?!". Pois...
18 - Um livro vencedor de um Pulitzer
Toda a Luz que não Podemos Ver, de Anthony Doerr. Completamente fantástico!
19 - Um livro baseado numa história verídica
Segredos de Amor e Sangue, de Francisco Moita Flores. Não é bem baseado numa história verídica, mas muito do que lá se encontra retratado é real, incluindo a história de Diogo Alves (o assassino do aqueduto).
20 - Um livro que esteja no final da tua TBR
Lápides Mortais, de Sharan Newman. Já tinha este livro há imenso tempo na prateleira e ia sempre ficando para trás, nem sei bem porquê. 
21 - Um livro que a tua mãe adore
Morto Para te Ver. No dia que este livro chegou cá a casa, a minha mãe pegou nele porque achou piada à capa e, quando dei por ela, já o tinha lido todo! 
22 - Um livro que te assuste
Nunca encontrei tal coisa. No dia em que encontrar um livro que realmente me assuste, vou-me dar por muito feliz!
23 - Um livro com mais de 100 anos
24 - Um livro baseado unicamente na sua capa
A Educação de Felicity, de Marion Chesney. O livro é todo tão giro!
25 - Um livro que devias ter lido na escola mas não leste
Como li todos os livros que deveria ter lido nos meus tempos de escola, acabei por escolher Às Dez a Porta Fecha, de Alice Vieira, unicamente por ter sido uma autora de quem falei nessa altura.
26 - Um livro de memórias
Rainhas Malditas. Mais uma vez, não é propriamente um livro de memórias mas como conta as histórias pessoais destas rainhas, vou encaixá-lo neste ponto.
27 - Um livro que consegues terminar em um dia
Às Dez a Porta Fecha. Um livro pequenino que li de rajada e me encheu tanto o coração.
28 - Um livro com antónimos no título
Rei, Capitão, Soldado, Ladrão, de Ruth Rendell. Acho que se podem considerar antónimos (faz de conta).
29 - Um livro passado num local que sempre quiseste conhecer
Observações. A história passa-se algures na Escócia, país que adorava visitar.
30 - Um livro com críticas más
O Monstro de Monsanto, de Pedro Jardim. Fiquei super entusiasmada quando este livro saiu porque a história prometia. No entanto, pouco após o seu lançamento, as más críticas abundaram. Não obstante, a curiosidade só aumentou e li-o na mesma.
31 - Um livro que tenha sido lançado no ano em que nasceste
Alguém conhece um bom livro que tenha sido lançado em 1986? Sei que o It, do Stephen King foi lançado nesse ano mas não o encontro por terras lusas :(
32 - Uma trilogia
Trilogia Millennium - Os Homens que Odeiam as Mulheres, A Rapariga que Sonhava com uma Lata de Gasolina e um Fósforo e A Rainha no Palácio das Correntes de Ar, de Stieg Larsson. Em minha defesa, quando os comecei a ler ainda era uma trilogia.
33 - Um livro da tua infância
34 - Um livro com um triângulo amoroso
Rei, Capitão, Soldado, Ladrão. Verdade seja dita, não existe um triângulo amoroso mas antes um octogono ou algo que o valha.
35 - Um livro passado no futuro
36 - Um livro passado no liceu/ secundário
37 - Um livro com uma cor no título
38 - Um livro que te faça chorar
Oh, qual escolher! Toda a Luz que não Podemos Ver. Fiquei destroçada com este livro.
39 - Um livro com magia
O Circo dos Sonhos, de Erin Morgenstern. É mesmo mágico, do início ao fim.
40 - Uma graphic novel
41 - Um livro de um autor de quem nunca leste nada
Mega batota para este ponto porque, de todos os autores que li, apenas um já tinha sido lido. Assim, farei o inverso e escolho o livro do autor que conhecia - Inferno, de Dan Brown.
42 - Um livro que tenhas na prateleira e que nunca leste
Again, estavam quase todos na prateleira. De qualquer forma, escolhi um dos que lá estavam há mais tempo - O Diário Perdido de Don Juan, de Douglas Carlton Abrams.
43 - Um livro que se passe na tua cidade
Tendo em conta que vivo quase na parvónia city, acho muito difícil encontrar algum livro que se passe por cá. No entanto, em 101 Lugares para ter medo em Portugal, de Vanessa Fidalgo, uma das histórias é passada na terra onde nasci, Vila Franca de Xira, por isso até que se enquadra.
44 - Um livro que tenha sido originalmente escrito noutra língua
Ah, quase todos. Mas vá, ainda não falei no Deste Lado da Luz, de Colum McCann.
45 - Um livro passado no Natal
46 - Um livro escrito por um autor com as tuas iniciais
47 - Um peça
48 - Um livro banido
49 - Um livro baseado ou que se tenha tornado numa série de tv
50 - Um livro que tenhas começado e que nunca terminaste

Como repararam, mega fail! No entanto, o que perdi em quantidade ganhei em qualidade porque acabei por ler livros muito bons. Espero sinceramente conseguir desforrar-me no próximo ano e já encontrei um novo desafio para apimentar as coisas, mas disso falarei depois.

P. S. Tenho montes de opiniões em atraso!! Humpf...

23 de dezembro de 2015

22 de dezembro de 2015

Tag de Natal

É Natal, é Natal, la la la lala! 
Como o tempo voa... Tinha tantas ideias para partilhar convosco e acabei por não fazer nada. Humpf... Shame on me! Deixem-me lá tentar dar a volta à coisa e dar um toque natalício ao Gritos.


Ora, vou entrar no espírito da quadra com uma TAG de Natal. Tenho visto esta TAG em alguns blogs e achei-a engraçada, por isso decidi "roubá-la" aqui para o cantinho. Perdoem-me, mas não faço ideia a quem a "roubei" (apontei as perguntas e, feita taralhouca, esqueci-me de apontar a fonte. Portanto, se for vossa, acusem-se, por favor! :p).
Vamos lá ver o que sai daqui, então.

Quando é que o Natal começa para ti?
Para mim o Natal só começa no dia 24. Sinceramente, faz-me imensa impressão que a quadra seja publicitada com tanta antecedência. Em Outubro já vemos montras com alusões ao Natal o que é estranho (especialmente nos últimos anos em que tem estado um calor abrasador por essa altura). Como, para mim, Natal não é necessariamente enfeites e prendas, é no dia 24, quando fazemos os bolos e os doces, quando a mesa é posta a rigor, quando se sente o cheiro da aletria, da lareira e do bacalhau com as couves, quando a família se começa a juntar, que a magia começa.

Qual é o filme de Natal que tens mesmo de ver?
O Sozinho em Casa! Natal que é Natal tem de ter o Sozinho em Casa a passar na TV!

Fazes um bolo de Natal ou compras?
Todos os anos faço o(s) bolo(s) em casa, mas este ano o meu forno decidiu tramar-me e deixou de funcionar. Lá terei de comprar um bolinho desta vez.

Quando é que montas a Árvore de Natal?
Não tenho um dia específico para montar a árvore, mas é sempre entre o dia 1 e o dia 8.

Tens uma Árvore de Natal verdadeira ou falsa?
Já há alguns anos que tenho uma falsa.

Quando é que começas a ouvir músicas de Natal?
Na avenida principal da minha terra costumam colocar colunas, logo no início de Dezembro, onde vão passando músicas natalícias. Como tenho de passar por lá todos os dias, começo logo cedo a ouvir o Jingle Bells. O mau da coisa? Tenho de passar por lá todos os dias e a variedade resume-se a 3 ou 4 músicas.

Usas sempre as mesmas decorações de Natal todos os anos ou compras novas?
Todos os anos arranjo um enfeite novo para juntar às velhas decorações.

Como passas a noite da véspera de Natal?
Depois do tradicional jantar com a família, o resto da noite é passada à mesa em frente à lareira e a enfardar bolos como se não houvesse amanhã, enquanto se recordam pessoas e momentos que nos deixaram saudades.

Calendário do advento ou não?
Tive uma vez um daqueles calendários com chocolates, mas a coisa não correu muito bem. Escusado será dizer que não tenho paciência para comer um chocolate por dia...

Deixas um lanche para o Pai Natal e as renas?
A mesa fica posta, se ele quiser que se desenrasque.

Como é que o Pai Natal entra na tua casa?
Teletransporte, caso contrário não se safa, especialmente com a lareira acesa.

Que cheiros te fazem lembrar do Natal?
Hum... o cheiro a fatias douradas e sonhos, aletria... Agora que penso nisso, é o cheiro a canela que me faz pensar no Natal a qualquer momento.

Como passas o dia de Natal?
Numa mesa rodeada de familiares e recheada de petiscos, histórias e risos fáceis.

O que esperas receber este Natal?
Quero paz e sossego, amor e saúde para mim e os meus (e para vocês!!). Ah... e livros, claro!

Não vou passar a TAG a ninguém em particular, por isso sintam-se à vontade para responderem. Se o fizerem, avisem que eu quero ir cuscar! :D

13 de dezembro de 2015

Opinião - "Os Homens que Odeiam as Mulheres", de Stieg Larsson

Os Homens que Odeiam as Mulheres
(Män som hatar kvinnor)
de Stieg Larsson

Edição: 2014
Páginas: 539
Editor: Dom Quixote
ISBN: 9789722055000
Colecção: Millennium I
Categoria: Ficção; Policial; Thriller
O jornalista de economia MIKAEL BLOMKVIST precisa de uma pausa. Acabou de ser julgado por difamação ao financeiro HANS-ERIK WENNERSTÖM e condenado a três meses de prisão. Decide afastar-se temporariamente das suas funções na revista Millennium. Na mesma altura, é encarregado de uma missão invulgar. HENRIK VANGER, em tempos um dos mais importantes industriais da Suécia, quer que Mikael Blomkvist escreva a história da família Vanger. Mas é óbvio que a história da família é apenas uma capa para a verdadeira missão de Blomkvist: descobrir o que aconteceu à sobrinha-neta de Vanger, que desapareceu sem deixar rasto há quase quarenta anos. Algo que Henrik Vanger nunca pôde esquecer. Blomkvist aceita a missão com relutância e recorre à ajuda da jovem LISBETH SALANDER. Uma rapariga complicada, com tatuagens e piercings, mas também uma hacker de excepção. Juntos, Mikael Blomkvist e Lisbeth Salander mergulham no passado profundo da família Vanger e encontram uma história mais sombria e sangrenta do que jamais poderiam imaginar.

Adoro pegar num livro expectante de que seja bom e, no final, ficar com a certeza de que além de bom, é brutal! Qualquer ideia pré-concebida sobre a história foi totalmente suplantada aqui.
Para além da acção descrita na sinopse, o autor conseguiu criar acções separadas onde um sem número de personagens, situações e temas díspares se conjugam perfeitamente. Não há um foco específico, mas sim vários que se vão interligando ao longo de toda a história, sendo os seus fios condutores as duas personagens principais, Mikael Blomkvist e Lisbeth Salander. Juntos, irão tentar descortinar um possível crime com quase 40 anos, lutar pela vida, descobrir mais do que pretendiam ao desenterrarem aquilo que deveria ficar escondido, manter a sanidade e criar entre ambos uma ligação emocional impensável, especialmente para Lisbeth, o verdadeiro "bicho do mato" por definição.

Toda a narrativa é bastante descritiva mas nem por isso maçadora, mesmo quando o autor nos conta o que foi o pequeno-almoço de alguém. Na minha opinião, esses pequenos pormenores enriquecem bastante as várias personagens, tornando-as humanas, reais, fazendo-nos sentir mais próximos destas.

Nota-se que todos os parágrafos foram pensados ao pormenor, pois tudo faz sentido, nem que seja 100 páginas à frente. Toda a investigação, todas as definições e explicações do autor (quase como notas de rodapé), todas as descrições (mesmo as mais grotescas) envolvem-nos intensamente, tornando quase impossível a tarefa de pousar o livro por um minuto.

De notar, também, a mensagem subjacente e, ao mesmo tempo, tão descarada e constante - a violência contra as mulheres. Todos os títulos da série evocam as mulheres, em todos os livros há referências ao papel diminuído das mulheres ao longo do tempo e aos números chocantes de casos de violência de que são vítimas. Em todas as suas histórias encontramos algum caso de violência ou discriminação contra mulheres mas sempre mostrando, logo a seguir, a sua força e capacidade de superação. É, de facto, de louvar a perspectiva do autor sobre o assunto que, com a sua escrita, parece querer quase elevar a mulher a um estatuto de Deusa, essa entidade que tudo passa, tudo aguenta mas tudo consegue vencer.

A parte chata de toda a série é o facto de todos os nomes de personagens, cidades, empresas, jornais, e etc., estarem escritos em sueco. Tendo em conta que toda a história se passa na Suécia, é mais do que normal não existir um Zé Manel ou uma Maria Armanda, o que sempre era mais fácil de ler...

Fora de brincadeiras, este livro é irrepreensível. Muito, muito bom em todos os sentidos e o qual passei a recomendar vivamente.

5 de dezembro de 2015

Opinião - "A História de Lupita", de Laura Esquivel

A História de Lupita
(A Lupita le gustaba planchar)
de Laura Esquivel

Edição: 2015
Páginas: 224
Editor: Edições ASA
ISBN: 9789892330587
Categoria: Ficção
Lupita é uma mulher fora de série. Forte. Ardente. Inesquecível. Numa sociedade obcecada com as aparências, o dinheiro e o poder, ela é uma heroína improvável. Uma lutadora que protege os mais fracos e injustiçados.
Lupita é também uma mulher com um passado doloroso. Frágil. Romântica. Devastada. Que vive com memórias agridoces de um tempo que, sabe, não voltará.
Na sua busca por amor, ela dá por si no lugar errado à hora errada. Bastarão apenas uns segundos para mudar a sua vida. Ao testemunhar um assassinato, Lupita passa a ser uma mulher marcada. Mas a revolta que nasce dentro de si é mais forte do que o medo que sente. A vítima, Arturo, era o único homem em que acreditava incondicionalmente. A sua morte leva-a a tomar uma decisão extrema: lutar até ao limite das suas forças e fazer justiça… por Arturo, por si própria e por todos aqueles que não têm voz.
A escritora mexicana Laura Esquivel, autora do clássico contemporâneo Como Água para Chocolate, está de volta com uma parábola mágica sobre afectos, coragem e redenção. A sua linguagem plena de misticismo e espiritualidade dá vida a uma mulher excepcional, uma heroína atípica que ficará gravada para sempre na memória dos leitores.

Tenho por norma ler primeiro a sinopse ou saber de antemão do que trata o livro, pois gosto de saber em que mundo vou entrar. Claro que, por vezes, sou surpreendida porque a ideia que criei de início, não é totalmente correcta. Aconteceu-me esta situação ao ler este livro.

Lupita é uma mulher polícia no México - uma mulher num mundo de homens, num país onde o crime e a corrupção estão acima de qualquer pessoa, lei ou credo. Ora, só isto era suficiente para explicar todo o livro, mas Lupita é muito mais.
Tudo começa quando a personagem assiste ao assassínio do presidente da câmara da sua cidade. O caso tem de ser investigado pelas autoridades mas não esmiuçado pois, na realidade, há coisas que não se convém saber. Tudo poderia passar despercebido, se Lupita não se fosse meter com as pessoas erradas em busca de respostas, acabando por ficar em maus lençóis. Porquê que Lupita não ficou quieta e calada? Porquê que tentou limpar o nome do homem que esta cria ser honesto e competente? Porquê que não se limitou a esquecer? São as respostas a estas questões que vamos vendo desenrolar-se ao longo das quase 250 páginas - as dores e as mágoas de uma mulher com um passado triste e amargo, a procura da felicidade, a contemplação e o encontro da paz e da consciência. Tudo o que a levou àquele ponto e a tornou na mulher que é.
Achei particularmente interessante a divisão dos capítulos. Cada capítulo começa com uma frase descritiva: "Lupita gostava de (qualquer coisa)", o que mostra a dualidade desta. A frase em si denota a simplicidade e normalidade de uma pessoa comum mas, ao lermos o porquê de Lupita gostar de algo, entramos num mundo negro e cheio de mágoa, entramos na sua mente. Acaba, quase, por funcionar como o ponto de partida para uma análise interior, as razões da razão.

Não sendo exactamente o que estava à espera de encontrar, não desgostei do livro pois trata de assuntos bastante relevantes e reais e conseguiu por-me a pensar em certos aspectos de mim própria e até de outras pessoas.

Acho que este livro irá depender sempre do estado de espírito de cada leitor e, esse pormenor, irá ditar se irão adorar a leitura e encontrar uma mensagem formidável nela ou se será apenas a história de uma mulher num mundo de loucos.

Em Novembro chegaram...

Mas... já estamos em Dezembro? É só de mim ou este ano passou a correr? Ai, só de pensar nisso começo a sentir-me velhota. Acho que vou buscar uma manta e enroscar-me a ler um dos livros novos da minha estante que, a propósito, são fantásticos! (E não são todos?) Querem ver?


Estava convicta de que iria reduzir, e muito, a wishlist depois deste mês, mas a desgraçada continua enorme. Grrrr... Não importa, consegui vários livros que queria muito e isso deixa-me bem feliz!


Começo, então, com os amigos que deviam ter aparecido no bookhaul de Outubro mas que, por se terem atrasado a chegar, passaram para o de Novembro.
Como já devem saber, comecei a ler no verão a trilogia Millennium, quando ainda era apenas uma trilogia. Entretanto, surgiu a notícia de que o autor David Lagercrantz havia pegado na história de Lisbeth e escrito uma continuação da Millennium que se traduziu no lançamento de A Rapariga Apanhada na Teia de Aranha. Quem, como eu, gostou tanto destes livros decerto teve um pequeno ataque de sentimentos contraditórios. Ora, seria este autor capaz de manter o mesmo registo de Stieg Larsson? Conseguiria criar o mesmo ambiente envolvente? Em que sarilhos se teria metido Lisbeth desta vez? AH, a curiosidade!! Com tudo isto, era impossível deixar este livro passar ao lado.
A Rapariga no Comboio, de Paula Hawkins, acho que nem vale a pena comentar. Desde que foi lançado que se gerou um hype enorme e, sendo um thriller psicológico, não me passou outra coisa pela cabeça se não lê-lo. Este mês, finalmente, veio cá para casa.
Os Caçadores de Livros, de Raphaël Jerusalmy,é daquele tipo de livros que, por mais similar que seja a outros do género, simplesmente adoro ler. Conspirações manhosas do tempo da outra senhora? Sim, sim!!


Qualquer livro que tenha como pano de fundo a 2ª GM atrai-me instantaneamente, e Os Anagramas de Varsóvia, de Richard Zimler, não foi excepção. Encontrei-o a leilão por um preço fantástico e, por sorte, fui a única licitadora (yeah!).


Toda a gente sabe que adoro as promoções da Note!. Por norma, encontro sempre algum livro mais antigo ou que não conheço mas que me chamam a atenção, por preços muito bons. Desta vez ia focada em comprar dois livros que já tinha marcado da lista em promoção mas, para azar, quando cheguei à loja, já lá não estavam. Depois de ver o que lá havia, encontrei A Estranha Viagem do Senhor Daldry e pareceu-me muito giro. Vai ser uma companhia óptima para as minhas viagens de comboio.


Queria tanto estes dois meninos! Perguntem a Sarah Gross, de João Pinto Coelho, é um livro que, sendo passado na altura da 2ª GM, claro me captou a atenção. Entretanto começaram a surgir as opiniões à história e só cimentou a minha curiosidade.
Constança - A Princesa Traída por Pedro e Inês, de Isabel Machado, para além de ser um romance histórico que gosto tanto, tem como personagens pessoas reais da nossa história e que tão bem conhecemos. No entanto, vai dar a conhecer o outro lado da história, o amor de Pedro e Inês visto pelos olhos de Constança.


Através da Editora Teorema, a quem agradeço imenso, chegou cá a casa Os Interessantes. No seu âmago, parece-me um livro sobre crescimento, maturidade e o poder da amizade e estou desejosa para o ler. Vou guardá-lo para as férias do Natal para poder saboreá-lo com calma, pois acho que merece.

E vocês, muitas novidades? Ou estão à espera das prendinhas de Natal? Neste ponto espero que tenham mais sorte do que eu, pois raramente recebo livros como prenda :( Enfim, hajam boas leituras e o resto é conversa!

1 de dezembro de 2015

Votação - Melhor Livro 2015

Agora que chegámos a Dezembro, é mais que natural olhar em retrospectiva para o ano que está quase a terminar. Para quem gosta de ler (óbvio!) é quase sagrado o olhar para todas as leituras realizadas, as boas, as más, as assim-assim, as que eram para ter sido e as que entraram para a wishlist. E este ano que as novidades foram tantas e tão boas! Ah!
Não sei quanto a vocês, mas eu fico sempre curiosa em saber o que as pessoas acharam dos livros que foram saindo. E, dentro desta linha de raciocínio, que tal descobrir-mos quais os melhores livros lançados em 2015? Estou mesmo curiosa e vocês?

De forma a eleger os melhores livros do ano, foi criado um formulário dividido por várias categorias, tendo cada uma delas 6 opções por onde escolher. Mas não se preocupem, se não gostarem de nenhuma opção podem sempre acrescentar a vossa preferência.

A votação inicia hoje, dia 1 de Dezembro, e termina no dia 31. Os resultados serão lançados no dia 4 de Janeiro.

As opções apresentadas no formulário são baseadas nas melhores leituras do ano de um conjunto fantástico de blogues literários que se juntaram a mim nesta ingrata tarefa de escolher os melhores. Não posso seguir sem agradecer a ajuda que todas me deram (muito, muito obrigada!!). Fazer, então, favor de espreitarem os seus cantinhos, os quais eu gosto tanto de visitar:

E agora, estão preparados? Vamos a isso!! :D


27 de novembro de 2015

Book Nerd Problems # 4 (Não necessariamente por esta ordem)

Estou neste momento a escrever este texto apenas com uma mão porque a outra está dormente e cansada. Por favor, não divaguem muito com esta frase que eu passo já a explicar o porquê desta situação. Ando a ler o 3º volume da Millenium, A Rainha no Palácio das Correntes de Ar, que, para quem não sabe, tem 720 páginas. Digamos que é, assim, um belo canhanho! Agora, imaginem ficar duas horas seguidas a segurar esta bela peça. Já perceberam o meu drama, certo?


"Ah, e tal, ebooks". Nem vou por aí. Cada um tem os seus gostos e eu nunca gostei de ler ebooks. Para mim, livros são livros e ponto. Haverá maior prazer que folhear um livro e sentir o seu cheiro enquanto as páginas viram? Hum...

"Sua croma! Podes sempre ir mudando de posição e fazer algumas pausas para não cansar". Certo. Vou argumentar apenas com dois pontos. Primeiro: encontrar uma boa posição de leitura depende de vários factores que passo a enumerar.
  • Local onde te encontras - sala, quarto, casa-de-banho, comboio, banco do jardim, sala de espera do dentista, casamento da prima em 3º grau, etc.;
  • Comodidades em redor - cadeira confortável, cama quentinha, sofá disponível, banheira de hidromassagem, casota do cão, etc.;
  • Condições climatéricas - faz sol, está a chover, faz frio, é de noite, um furacão dirige-se em direcção a tua casa, está vento e tens de levar com areia na cara, etc.;
  • Extras - Precisas de uma manta, de uma caneca de café ou chá, os óculos estão limpos, o nariz está a pingar, tens fome, tens uma perna partida ou cortaste o dedo numa folha de papel e está a arder, estás à espera de uma mensagem de um amigo a dizer que está à tua porta mas tu ainda está de pijama, etc.
Quanto às pausas, c'mon! Quando estás completamente embrenhado na história, consegues mesmo parar de ler? Bem me parecia...

Pois é, meus amigos, uma sessão de leitura não é só um prazer da vida. É, também, uma ciência complexa que requer vários minutos de ponderação, tentativa e erro, adaptação e dores musculares.

Leitor que se preze ergue a cabeça após ler 300 páginas seguidas e sorri, mesmo tendo o pescoço estalado em três sítios diferentes e a paisagem à sua frente estar um pouco desfocada. Leitor que se preze pousa o livro, levanta as mãos ao ar e diz "muito bom", enquanto estalam mais uns quantos ossos que nem sequer sabia existirem. Leitor que se preze levanta-se da cadeira, quase vai ao chão quando as pernas lhe falham de tão dormentes que estão, mas pensa "tenho de almoçar depressa para saber o que acontece a seguir!".

Isto tudo para dizer que quem corre por gosto não cansa e ler não cansa nunca! Boas leituras!


21 de novembro de 2015

Lançamentos em Novembro (5ª Parte) - de 19 a 28

A Mulher da Lama, de Joyce Carol Oates

Lançamento a 19 de Novembro

Sinopse:
Uma criança é abandonada pela mãe no leito lamacento do Black Snake River. Contra todas as expectativas, «a menina da lama» sobrevive e é adoptada por um casal de classe média que tentará esconder para sempre essa terrível história. Mas o presente vai tornar-se surpreendentemente vulnerável aos agentes do passado.
Meredith «M. R.» Neukirchen será a primeira mulher a presidir a uma universidade da Ivy League. Emersa numa carreira absorvente, num amor secreto por um homem que não define os seus sentimentos, e preocupada com o ambiente político dos Estados Unidos em vésperas da Guerra do Iraque, M. R. depara-se subitamente com inúmeros desafios. Para além de ver a sua carreira em jogo, as duras marcas do passado e o confronto com «a menina da lama» ameaçam fazer ruir todas as suas convicções.
Um romance emocionante que explora o elevado preço do sucesso na vida de uma mulher a braços com os seus demónios pessoais e profissionais.

Uma Aventura Secreta do Marquês de Bradomin, de Teresa Veiga

Lançamento a 20 de Novembro

Sinopse:
Após o sucesso comercial de Gente Melancolicamente Louca, a Tinta-da-china continua a publicar Teresa Veiga, agora com o há muito esgotado Uma Aventura Secreta do Marquês de Bradomín. Uma compilação de três novelas no estilo inconfundível da autora, onde o que parece quase nunca é, e onde os desvios contra-intuitivos do enredo desconcertam sistematicamente o leitor.

Caminhos para Deus, de Helena Sacadura Cabral

Lançamento a 20 de Novembro

Sinopse:
Helena Sacadura Cabral, uma das vozes mais estimadas de Portugal, partilha, neste livro, uma selecção muito pessoal das preces e ensinamentos que a têm guiado na procura da espiritualidade. A autora revela-nos como encontrou o seu Deus, como com Ele conversa, como Nele confia enquanto define o seu caminho. Um caminho feito de dúvidas e de fé, uma vida feita de alegrias e adversidades. 

Gesto de entrega e generosidade máxima da autora, CAMINHOS PARA DEUS oferece alento em dias de incerteza, bálsamo nas horas mais tristes e companhia nos trilhos da vida. 

- CAMINHO PARA DEUS - preces em tempos de incerteza é um dos livros mais pessoais e íntimos da autora, no qual partilha as suas orações de eleição, as suas inquietações, a sua fé e espiritualidade. 

- O objectivo é partilhar as ferramentas espirituais da autora para que o leitor possa ultrapassar os seus piores momentos e reconhecer os melhores; para que não se deixe consumir pela mágoa ou pela incerteza; para que tenha fé, apesar de tudo.

Bronco Angel, O Cow-Boy Analfabeto, de Fernando Assis Pacheco

Lançamento a 20 de Novembro

Sinopse:
Livro inédito de um dos nomes incontornáveis da literatura portuguesa contemporânea, mito do jornalismo em Portugal e pai fundador do humor da segunda metade do século XX. Vinte anos após a morte de Fernando Assis Pacheco, a Tinta-da-china dá início à publicação da obra do poeta, cronista e jornalista português. O primeiro título é uma novela humorística escrita sob o pseudónimo William Faulkingway, com origem num folhetim publicado no jornal satírico Bisnau, na década de 1980.

Soberba Ilusão (Livro 3), de Andreia Ferreira

Lançamento a 20 de Novembro

Sinopse:
O fim está próximo, mas Carla não sabe. Depois da morte de Raquel, sente-se, mais do que nunca, desamparada. Concentra-se no próximo passo: expulsar o demónio Rita da sua vida de uma vez por todas. Porém, o anjo tem um plano, os demónios querem-na morta, amigos aliam-se com inimigos, e até aqueles em quem ela mais confia escondem segredos. Ela é o alvo, mas são os outros que tombam à volta dela. Tomar decisões não é tarefa fácil. Quem é aliado, quem é inimigo? Até onde vai o nosso dever para o bem maior, quando a vida de quem amamos está em jogo? Na excitante conclusão da trilogia, iniciada com Soberba Escuridão, Carla enfrenta o seu destino - as hordas do Céu e do Inferno parecem determinadas a utilizá-la quer ela queira quer não.

Mein Kampf - A Minha Luta

Lançamento a 22 de Novembro

Sinopse:
Ditado ao seu fiel secretário Rudolf Hess em 1923, na prisão de Landsberg - onde cumpria uma pena de cinco anos depois do golpe falhado em Munique - A Minha Luta é, de certa forma, o manifesto do nacional-socialismo tal como Hitler o entendia. Apesar do seu estilo errático e por vezes alucinado, a obra contém a sua visão programática para a sociedade alemã - com alusões pouco veladas de eugenismo e uma ênfase obsessiva na questão racial, por exemplo, mas também sobre o papel da mulher alemã ou dos sindicatos -, para uma nova política externa (a referência constante à necessidade de espaço vital, mas também à política de alianças a levar a cabo) e, ainda, premonitoriamente, sobre os judeus.
No fundo, 10 anos antes de chegar ao poder, o que viria a ser a política interna e externa do III Reich levada a cabo por Hitler já estava plasmada em livro. Embora algumas das suas ideias, em termos de geopolíticos, reflictam os medos e anseios dos Alemães, fruto da sua posição geográfica no continente europeu - a eterna obsessão com as alianças que pudessem contrariar o «cerco», o aperto entre a França e a Rússia, agora pela mão do bolchevismo - noutros aspectos o texto é mais perturbador, em especial na questão do eugenismo, no futuro dos povos de Leste e, essencialmente, o destino a dar aos judeus.

Sobrevivi ao Holocausto - O Relato Comovente de Uma das Últimas Amigas de Anne Frank, de Nanette Blitz Konig

Lançamento a 23 de Novembro

Sinopse:
Um incrível exemplo de sobrevivência em nome dos que hoje já não podem falar, dos que perderam a vida de forma brutal e incompreensível.
A história de Nanette Blitz Konig confunde-se com a História dos judeus durante a Segunda Guerra Mundial. Em 1938, Nanette era uma menina feliz que vivia com os pais, Martijn e Helene, em Amesterdão. Com o avanço das forças nazis pela Europa e a invasão da Holanda em 1940, Nanette e a sua família sentiram, pouco a pouco, o seu mundo a encolher. Vítimas de xenofobia, seriam excluídos da sociedade holandesa em apenas três anos.
Em Setembro de 1944, a menina, que fora colega de Anne Frank no Liceu Judaico de Amesterdão — Anne menciona a amizade no seu famoso diário —, foi enviada com o pai e a mãe para o campo de concentração de Bergen-Belsen. Foi aqui que reencontrou Anne Frank no local onde ambas perderam cedo demais a sua juventude e inocência.
O acaso permitiu que Nanette sobrevivesse. Quando os ingleses libertaram Bergen-Belsen, em abril de 1945, ela tinha 16 anos e pesava 31 quilos. Estava viva - e sozinha no mundo. Agora, quase 70 anos depois de ter visto os seus pais e Anne Frank pela última vez, Nanette relata com emoção os encontros com a amiga, contando de forma detalhada o caminho percorrido pela sua família e o seu fim trágico. A história de Nanette, real e simultaneamente sensível e chocante, narra a luta diária pela sobrevivência, em que teve de vencer o insuportável para conseguir manter-se viva.
Este é um relato fundamental para que não esqueçamos este período da História e, deste modo, evitemos repetir o sofrimento causado pela intolerância.

Um Estranho no Coração, de Eduardo Sá

Lançamento a 24 de Novembro

Sinopse:
Sentado num café, com o mar ao fundo, Gaspar sente a mão a tocar-lhe de leve no ombro, ouve a voz que não identifica e o chama. Vira-se para trás, leva algum tempo a reconhecê-la, assim tão pálida, escondida atrás dos óculos escuros. É a Luísa.

Viu-a pela última vez vai para 42 anos, toda uma vida. E agora ali está ela, à sua frente, a sentar-se à sua mesa, como se fosse ontem. E tira os óculos. E os olhos encontram-se, a unir pontas que um dia se partiram, num verão distante, naquela mesma Nazaré. 

O coração de Gaspar aperta-se. É um coração velho, que já não serve. Gastou-o numa vida sem amor. E agora espera por um novo, um transplante, um milagre que lhe prolongue o prazo de validade. Agora mais do que nunca. Porque ela está ali, trazendo consigo a promessa de um futuro que não sabe se tem. Ou se algum dia terá.

Romance de amor, de memórias, de reflexões, Um Estranho no Coração revela-nos uma faceta inesperada de Eduardo Sá. O contador de histórias continua presente, em cada página, em cada personagem. Mas desta vez usa como fio condutor uma única história, a de Gaspar; e nela projecta as suas (e as nossas) dúvidas, as decisões que tomamos, os desvios do caminho, as paragens sem porquê. E se nos oferece o balanço de uma vida vivida a medo, oferece-nos também uma ideia redentora: a segunda oportunidade, o eterno retorno.

Eu, Amélia - A Última Rainha de Portugal, de Stéphane Bern

Lançamento a 24 de Novembro

Sinopse:
Nascida em Inglaterra, em 1865, Maria Amélia de Orleães, princesa de França, desposa em 1886 o herdeiro do trono português, D. Carlos de Bragança. Aos quarenta e três anos é abalada pelo duplo assassínio do marido e do filho mais velho. Incapaz de evitar a revolução de 1910, é obrigada a exilar-se em Inglaterra e, mais tarde, em Versalhes, onde conhecerá a morte em 1951, aos oitenta e seis anos. Do exílio da sua família ao fracasso do seu próprio casamento, da morte do marido e dos dois filhos aos caminhos da errância, da revolução e da guerra, esta mulher terá conhecido todas as vicissitudes de uma existência romanesca. 

A partir da correspondência e do diário da rainha D. Amélia, documentos inéditos pertencentes aos arquivos da Casa de França, Stéphane Bern imaginou as suas memórias, reflexo fiel de uma figura desconhecida da História contemporânea. Assina, desta forma, o seu primeiro romance no cruzamento de duas paixões, Portugal e a história das monarquias europeias, e partilha a excepcional lição de vida da rainha D. Amélia.

Uma Vez Que Tudo Se Perdeu, de Pedro Mexia

Lançamento a 27 de Novembro

Sinopse:
A primeira colectânea de poemas originais de Pedro Mexia desde 2007.

Em Ouro e Alma - Correspondência com Fernando Pessoa, de Mário de Sá Carneiro

Lançamento a 27 de Novembro

Sinopse:
Sá-Carneiro e Pessoa mantiveram um dos mais importantes diálogos epistolares da literatura portuguesa, tanto pela vivacidade da escrita, como pelo seu contributo para a compreensão da obra de Sá-Carneiro, dos heterónimos pessoanos e da revista Orpheu. Inclui a transcrição de manuscritos inéditos.

Um Cântico de Natal, de Charles Dickens

Lançamento a 27 de Novembro

Sinopse:
Um clássico mágico e intemporal sobre o verdadeiro espírito da quadra natalícia.

Um daqueles raros livros que deu expressão a algo enorme. Acredito que a própria vivência do Natal foi tocada por estas páginas.(…) Uma obra que nos faz pensar e que nos faz sentir. É por isso que continuará a ser lida.

Fractured - Fraturada, de Teri Terry

Lançamento a 27 de Novembro

Sinopse:
Dois meses depois de ter sido Reiniciada, Kyla não devia ter recordações da sua vida anterior. Mas, e apesar de ser verdade que ela sempre foi diferente, um acontecimento traumático trouxe-lhe de volta algumas memórias. Agora, Kyla está dividida entre a pessoa que se lembra de ser e a que tem de ser. E se lembrar já é muito perigoso, as coisas complicam-se ao descobrir que há uma figura central do seu passado que entrou mais uma vez na sua vida. Dividida entre escolhas impossíveis, Kyla precisa de descobrir quem realmente é - não o que foi ou o que querem que seja, mas a sua verdadeira natureza. Mas o preço da descoberta pode ser demasiado alto.

No Silêncio da Aragem Serrana, de António Marques Matias

Lançamento a 28 de Novembro

Sinopse:
Os baldes da massa iam-lhe sendo dados lá para cima dos andaimes pela filha mais nova da dona da casa… bonita, dinâmica e cheia de forças, a Laurinda, teria os seus dezoito anos, tão extrovertida quanto dinâmica, tão alegre quanto bonita… vestia uma blusa de crepe branca com flores azuis, por detrás do avental às riscas largas azuis e cinzentas de opalina via-se um pouco da saia preta, as tamancas e o lenço de cores vivas, completavam o cenário daquele palmo de cara de pele fina, olhos azuis e delicadas orelhas onde um pequeno arquinho incorporado nos brincos de ouro se baloiçava freneticamente a cada gesto do seu rosto com um oscilante brilho, qual cintilante estrela em suave noite de Verão.

As Promessas, de Conceição Piçarra Vintém

Lançamento a 28 de Novembro

Sinopse:
Um romance simples, mas muito emotivo, que conta uma história de amor intenso e singelo, nascida no seio de duas famílias pobres em pleno Alentejo rural no início do século XX, em muito inspirada na vivência da sua infância e na humildade das gentes alentejanas. Uma homenagem à sua terra.

Book Nerd Problems # 3 (Não necessariamente por esta ordem)

Qual é coisa qual é ela que me faz tirar do sério e me deixa... sei lá... amarela?
Gralhas! E estou a ser simpática ao chamar-lhes "gralhas", pois o correcto seria mesmo "erros ortográficos".


De certeza que já vos aconteceu começar a ler um livro e pensar "Uau! É mesmo interessante!" e de repente, sem dó nem piedade, encontram uma palavra sem uma letra pelo meio ou no final. Os pêlos da nuca ficam eriçados mas acabas por desvalorizar, afinal, erros acontecem. A leitura continua, a pequena gralha foi esquecida e, eis senão quando, encontras uma palavra com letras a mais. Mau. Problemas na tipográfica? Problemas na revisão ortográfica? Enfim, não é muito grave. Algumas páginas mais à frente, *PAM*, outra palavra mal escrita. Isto não está a acontecer. Voltas a ler a palavra e o erro continua lá. Repetes este processo mais três vezes e o resultado é o mesmo. Mas que raio? O meu computador da idade pedra chateia-me a cabeça quando escrevo uma palavra sem ser de acordo com o (des)acordo ortográfico e os computadores da malta que faz revisões a textos deixam passar isto? Será que não usam computadores? Ah, se calhar utilizam o método old school - papel e caneta e passam o documento final à máquina (entenda-se, máquina de escrever, daquelas engraçadas que, às vezes, encravava as teclas). Continuando. Vais a meio do livro e já te passaram tantas gralhas pela vista que só tens vontade de voltar ao início, pegar numa caneta e começar a corrigir todos os erros que encontraste. Controlas-te. O teu olho direito começa a saltitar, dás por ti a coçares-te nos intervalos em que não estás a roer as unhas com os nervos. Esquece. O livro voa direitinho para cima da cama e precisas de um minuto para respirar fundo. Como é que é possível?! Estariam bêbados quando leram isto? Houve sequer uma revisão? Oh, por amor da Santa!

Devo dizer (e agradeço aos deuses dos livros por isso) que não tenho encontrado muitas gralhas ultimamente. Elas existem, mas já não são tão óbvias ao ponto de me chatear profundamente. Ou, talvez, esteja a escolher os livros "bons" para ler, não sei.

O pior livro de todos os tempos, que me levou ao desespero pela quantidade de gralhas que encontrei e o qual levei, à vontade, 1 ano para acabar de ler foi Os Livros de Vidro dos Devoradores de Sonhos, de Gordon Dahlquist, editado pela Bertrand. A história em si até é engraçada, mas aquela revisão ortográfica é de bradar aos céus! Frustrados por lerem uma história da treta, imaginem uma que em 10 palavras, 4 estão mal escritas. Ah, pois é...

20 de novembro de 2015

Editorial Presença - Levo.pt está a oferecer livros!

Meus amigos, habemus novidades no mundo dos livros!

A Editorial Presença "criou" uma empresa, ou melhor, uma loja online que irá disponibilizar tudo o que existe escrito em português. E... não vos posso avançar com mais pois é só mesmo esta a informação que foi lançada até agora (aaaiii que desespero!). 

Falo-vos da LEVO.pt que, apesar de ainda não estar em funcionamento, já começou a lançar algumas dicas no Facebook e, como se não bastasse, está a oferecer a possibilidade aos seus seguidores de ganhar 1 ano de livros grátis (sim, leram bem - 1 ano!). Ora, pois, que estou a fazer figas com todos os dedos que tenho!


Pronto, ide lá participar que já não vos empato mais. É só clicar na imagem em baixo.



Aproveito e deixo também o link para o Facebook para irem lá cuscar.

Boa sorte!! :D

15 de novembro de 2015

Opinião - "Segredos de Amor e Sangue", de Francisco Moita Flores

Segredos de Amor e Sangue
de Francisco Moita Flores

Edição: 2014
Páginas: 244
Editor: Casa das Letras
ISBN: 9789724622453
Categoria: Ficção; Romance Histórico
Quando a força da Paixão e das Letras derrota o maior assassino de todos os tempos: Diogo Alves.
Segredos de Amor e Sangue é um regresso do autor à época em que Diogo Alves, o célebre galego que matava no Aqueduto das Águas Livres, era o grande protagonista do crime em Lisboa.
Em 1997 escreveu o argumento para o filme A Morte de Diogo Alves que venceu o Grande Prémio de Ficção da RTP. Agora, traz o célebre criminoso de volta como pretexto para reconstruir a Lisboa popular dos anos trinta do século XIX, um tempo em que a cidade se despia dos antigos trajes pré-liberais e dava os primeiros passos no Liberalismo emergente. Marcado pela violência e pela pobreza, este romance é uma história de ternura e de paixão, num tempo agreste, onde a força do Amor e das Letras se impõe à voracidade da guerra e do crime, num país que tinha uma população com noventa porcento de analfabetos.
É um romance com histórias apaixonadas, de amor e morte, de fascínio pela descoberta das palavras escritas em português.
Manuel Alcanhões, o narrador, eternamente apaixonado por Isabel, taberneiro em Alfama, testemunha a chegada do Portugal Moderno que vai aprendendo com as lições de um padre miguelista.

Sempre tive curiosidade em ler alguma obra do Francisco Moita Flores e, quando este livro foi lançado, acabei por o comprar pouco tempo depois. No entanto, acabou por ser passado para trás e só este verão lhe peguei, o que já me valeu umas valentes ganas porque agora quero ler todos os seus livros (de ficção, pelo menos)!

A história revolve em volta da personagem de Manuel Alcanhões, um taberneiro simples e honesto de Lisboa do Século XIX, num período muito particular da nossa história: o tempo de Diogo Alves, o assassino do Aqueduto.
Muito além de um policial ou thriller, pois desde o início se sabe quem é o assassino, a focalização da historia passa pela envolvente política e social da época, acabando por explicar o porquê de certas situações, inclusive o que levou Diogo Alves a matar indiscriminadamente. Claro que as razões psicológicas no seu âmago ninguém as consegue ou conseguirá explicar, pois a mente de quem mata não tem explicação nem razão.
É, então, através dos olhos de Manuel que vemos a sociedade de outrora - o rebuliço político e a inconstância, as desigualdades sociais com a nobreza detentora de todo o poder e riqueza e a pobreza extrema da maioria da população, os credos enraizados levando ao medo da mudança, a vontade de ser mais e o amor, pois que o amor pode surgir e vingar em tempos conturbados. E de todos os aspectos contemplados neste livro, houve um que logo me agarrou e que, pelo menos para mim, explica toda a história e dá um sentido à realidade daqueles tempos - o analfabetismo.
Manuel de Alcanhões, tal como a grande maioria da população da época, era analfabeto e o seu maior sonho, sonho de homem simples, era o de saber ler e escrever. Uma triste realidade que terminou, ainda que não totalmente, há muito pouco tempo. Sempre ouvi dizer que "quem não sabe é como quem não vê" que, neste caso, é proporcional ao "não sabes ler, logo não sabes nada, logo não tens opinião, logo não podes mudar a situação em que te encontras". E era mesmo isto que acontecia. 
Sempre presente, apesar de tudo, uma história de amor tão bonita e forte, exactamente como o amor deve ser, entre Manuel e a sua Isabel. Sempre unidos, a âncora e o porto de abrigo um do outro, livres de convenções numa época de ideais distorcidos.
Sinceramente, fiquei encantada com cada pormenor aqui retratado. A história é formidavelmente contada e, apesar de contar com episódios mais negros, a leitura não se torna pesada nem tenebrosa. Vamos encontrando diálogos de pessoas reais, passagens com humor e amor verdadeiro, chegando ao final com a ideia de que tiveste nas mãos uma janela para o passado.

Adorei cada linha de cada página e Francisco Moita Flores tornou-se para mim um autor do coração.

14 de novembro de 2015

Lançamentos em Novembro (4ª Parte) - de 13 a 18

Ardenas 1944 - A Última Jogada de Hitler, de Antony Beevor

Lançamento a 13 de Novembro

Sinopse:
A Última Jogada de Hitler. Do autor de Estalinegrado, A Queda de Berlim e Paris Após a Libertação, entre vários outros, chega-nos o mais recente trabalho na série de grandes batalhas da Segunda Guerra Mundial. Ardenas 1944: A Última Jogada de Hitler conta a história da última tomada de posição da Alemanha. No dia 16 de Dezembro de 1944, Hitler deu início à sua «última jogada» nas florestas e desfiladeiros cobertos de neve das Ardenas. Estava convicto de que seria capaz de dividir os Aliados se fosse até Antuérpia para obrigar os canadianos e os britânicos a saírem da guerra. 

Embora os seus generais tivessem dúvidas sobre o êxito do empreendimento, os oficiais mais jovens e menos graduados estavam desesperados por acreditar que as suas casas e as suas famílias podiam ser salvas do Exército Vermelho, que se aproximava, vingador, de leste. Muitos exultavam perante a expectativa de contra-atacar. A ofensiva nas Ardenas, que envolveu mais de um milhão de homens, tornou-se a maior batalha da guerra na Europa Ocidental. 

As tropas americanas, apanhadas de surpresa, deram por si a lutar contra dois exércitos de Panzers. Os civis belas fugiram, justificadamente com receio da vingança alemã. O pânico espalhou-se até Paris. Muitos americanos desertaram ou renderam-se, mas muitos outros mantiveram-se heroicamente firmes, atrasando o avanço alemão. O inverno rigoroso e a selvajaria da batalha tornaram-na comparáveis à frente oriental.

E depois dos massacres das Waffen-SS, até os generais americanos deram a sua aprovação quando os seus homens mataram alemães que se rendiam. As Ardenas foi a batalha que quebrou finalmente a Wehrmacht.

Oblomov, de Ivan Gontcharov

Lançamento a 13 de Novembro

Sinopse:
Illiá Ilitch Oblomov, membro da velha aristocracia latifundiária, é um preguiçoso. Habituado, desde a mais tenra idade, a uma corte de criados que lhe satisfaziam todos os desejos e necessidades, agora, trintão, é incapaz de fazer seja o que for. Passa os dias na cama, enrolado num velho roupão, rebolando de um lado para o outro, enquanto traça grandiosos planos de exploração agrícola que nunca põe em prática. A Oblomov contrapõe-se Stoltz, o enérgico, vigoroso e empreendedor alemão, seu amigo de infância, que procura salvá-lo do atavismo em que mergulhou.

No entanto, e malgrado os seus esforços, o apelo do sono suplanta qualquer vontade de viver e Oblomov acaba mesmo por trocar o seu grande amor pelo conforto do colchão. Este romance é um épico da preguiça, uma epopeia da pantufa, e Oblomov, uma personagem grandiosa digna de figurar entre as maiores criações literárias, como Ulisses, D. Quixote ou Fausto.

Feliz Aniversário, de Danielle Steel

Lançamento a 13 de Novembro

Sinopse:
Apagar as velas. Dizer adeus ao passado. Pedir um desejo para o futuro. Valerie Wyatt é a rainha da elegância. Desde que se divorciou, há já bastante tempo, criou um programa de televisão com muito êxito e chegou ao auge da carreira. Vive numa penthouse da Quinta Avenida e tem uma vida cheia de estilo. Então, porque se sente tão deprimida? Porque nem todas aquelas horas que passa com o seu treinador pessoal, os cabeleireiros e cirurgiões plásticos conseguem camuflar a verdade: Valerie vai fazer sessenta anos. 

A sua filha, April, gasta todas as suas energias no restaurante original e bem-sucedido que gere em Nova Iorque. Não tem vida amorosa nem perspetivas de vir a ter uma. Mas a sua vida está prestes a mudar, numa tumultuosa transformação que começa na manhã em que tem consciência do seguinte: tem trinta anos. E o que fez da sua vida? Jack Adams é o crítico desportivo mais carismático da televisão. Doze anos depois da reforma, continua a sair com as jovens de vinte e tal anos mais bonitas. 

Mas Jake acorda no dia em que faz cinquenta anos cheio de dores nas costas, a sentir todo o peso da sua idade. Num livro caloroso e inspirador, que começa com um aniversário e termina com outro, Valerie, April e Jack descobrem que é a própria vida que se deve celebrar e que as suas maiores dádivas chegam sempre de surpresa...

A Sexta Extinção, de James Rollins

Lançamento a 13 de Novembro

Sinopse:
Será já tarde demais para parar a destruição da humanidade? Uma instalação de pesquisa militar envia uma mensagem angustiante, que termina com a ordem: matem-nos a todos! O pessoal da base mais próxima acorre ao local e encontra todos os elementos da equipa mortos, e não só os cientistas. Todos os seres vivos num espaço de oitenta metros quadrados estão mortos animais, plantas e insectos, incluindo as bactérias. A terra tornou-se inteiramente estéril, e o fenómeno está a espalhar-se. 

Com o intuito de parar o inevitável, o comandante Gray Pierce e a Força Sigma têm de descobrir uma ameaça que se ergue desde tempos remotos, de um tempo em que a Antárctida era verde e toda a vida na Terra se equilibrava no fio da navalha. Seguindo as pistas de um mapa ancestral resgatado da Biblioteca de Alexandria, a Força Sigma descobrirá a verdade acerca de um continente desaparecido e uma nova forma de morte enterrada sob quilómetros e quilómetros de gelo. 

De segredos milenares saídos de um passado gelado até aos mistérios enterrados bem fundo nas selvas mais sombrias dos nossos dias, a Força Sigma enfrentará o seu maior desafio de sempre: parar a eminente destruição.

A Hora Mágica, de Kristin Hannah

Lançamento a 13 de Novembro

Sinopse:
Um encontro extraordinário entre uma mulher e uma menina. Uma história de esperança que reinventa o conceito de família. No escarpado noroeste do Pacífico situa-se a Floresta Nacional Olímpica: perto de quatrocentos mil hectares de sombras impenetráveis e extraordinária beleza. Do coração desta floresta surge uma menina de seis anos. Sozinha e sem dizer uma palavra, não deixa transparecer nada acerca da sua identidade e do seu passado. A pedopsiquiatra Julia Cates regressa à sua Washington natal na sequência de um escândalo que lhe arruinou a carreira. A médica está decidida a libertar aquela extraordinária menina a que chama Alice da prisão de um medo e isolamento inimagináveis. 

Para tentar chegar a ela, Julia tem de descobrir a verdade acerca do passado da criança, embora para isso precise da ajuda da sua irmã, uma agente da polícia de quem ela se afastou. Os factos chocantes da vida de Alice vão pôr à prova a fé e a força de Julia, que tenta a todo o custo dar um lar à menina… e a si própria. Em A Hora Mágica, Kristin Hannah cria uma das suas personagens mais adoradas e uma história flamejante que fala da capacidade de resistência do espírito humano, do triunfo do amor e daquilo que significa ter um lar.

Bem-Vindos a Joyland, de Stephen King

Lançamento a 13 de Novembro

Sinopse:
Por detrás do brilho das luzes, escondem-se as trevas… Devin Jones, estudante universitário, aceitou o trabalho de verão em Joyland na esperança de esquecer a rapariga que lhe partiu o coração. Mas acaba por se deparar com algo muito mais terrível: o legado de um homicídio perverso, o destino de uma criança moribunda e verdades obscuras acerca da vida, e do que se lhe segue, que irão mudar para sempre a sua vida.

Uma história intensa de amor e perda, acerca de crescer e de envelhecer - e daqueles que não chegam a ter tempo para uma coisa nem para outra por serem ceifados pela morte antes disso. Com todo o impacto emocional das grandes obras de Stehen King JOYLAND é ao mesmo tempo um policial, uma história de terror e um romance de formação que deixará o leitor profundamente comovido.

A Mulher do Islamita, de Lagoas da Silva

Lançamento a 14 de Novembro

Sinopse:
As marcas que se agarram à mente tornam-se leituras lógicas de causa-efeito, num único sentido.
A mulher do islamita padecia dessas marcas. Travar os sentimentos fê-la viver a si e a todos os que a acompanhavam em agonia, tomando a fuga física e espiritual como solução.
Afastou-se das suas verdades e dos seus valores internos. Distanciou-se da sua essência propositadamente. Mary Watts não sabia como expressar-se, mas James Wood soube compreender, esperar e ter esperança de um dia tornar eterno o amor que sentia por ela.

Este Dia na História, de João Bonifácio

Lançamento a 16 de Novembro

Sinopse:
Uma viagem histórica pelos 365 dias do ano, em que se revisitam alguns dos eventos mais significativos de Portugal e do mundo.
A execução de Inês de Castro por ordem de D. Afonso IV, pai de D. Pedro, foi um dos momentos mais marcantes da História de Portugal. A descoberta de quatro luas de Júpiter por Galileu e o estabelecimento da primeira ligação telefónica transatlântica, que reduziu a distância de Nova Iorque para Londres, são eventos determinantes na História Universal. O que têm em comum estes acontecimentos tão diferentes, separados por séculos? A data em que ocorreram: 7 de Janeiro.
Tem curiosidade em saber que episódios históricos fundamentais ocorreram nas datas especiais da sua vida?
Com Este Dia na História poderá descobri-lo. Resultado de uma investigação cuidada do jornalista João Bonifácio, e escrito numa linguagem acessível, este livro mostra-lhe factos admiráveis ocorridos no mesmo dia e que juntam protagonistas tão diferentes como, por exemplo, Sophia de Mello Breyner, Charlie Chaplin, D. Afonso Henriques e Cristiano Ronaldo.
Este Dia na História é a leitura perfeita para todos os dias do ano. «Este livro não ambiciona ser uma História de Portugal e do Mundo, embora queira, de forma leve, recuperar os eventos mais importantes do nosso passado. (…) Se muitas entradas são sobre a História de Portugal, outras referem-se ao mundo todo - e versam conquistas e descobertas, invenções e figuras determinantes. (…) Que vos entretenha e que vos elucide, que complexifique a ideia que tinham de Portugal e do mundo, e que vos divirta tanto quanto me divertiu pesquisá-lo em livros e jornais antigos - é o que espero que este livro faça.»

Amizades Improváveis, de Jonathan Evison

Lançamento a 16 de Novembro

Sinopse:
Trevor é um jovem de 19 anos com distrofia muscular, limitado a uma cadeira de rodas. Ben, um homem que perdeu tudo, é o seu auxiliar de apoio domiciliário, e aos 39 anos já sabe bem onde começa e acaba a vontade de viver. Juntos irão descobrir as suas verdadeiras essências, numa viagem de autodescoberta capaz de mudar para sempre a forma como hão de viver o passado e o presente, e perspectivar o futuro.
Com uma escrita muito própria, dotada de energia, graça inteligente e momentos de absoluta beleza, Jonathan Evison conta-nos uma história inspiradora sobre encontros e desencontros, mágoa e superação, e sobre as surpresas da vida e suas incomensuráveis recompensas.
Um livro cativante, comovente e com sentido de humor agridoce, que vai ser adaptado ao cinema pela CBS Films em 2016.

A Conspiração dos Diamantes, de Cristopher Lowery

Lançamento a 17 de Novembro

Sinopse:
1974/5: Depois da Revolução dos Cravos, Portugal é transformado num estado comunista. Os capitalistas são perseguidos sem piedade e a colónia libertada de Angola mergulha numa das mais sangrentas guerras civis da história. 

As lendárias minas de diamantes angolanas são encerradas, mas não antes de um grupo de refugiados conseguir escapar com um conjunto das preciosas pedras. 

Nos seus futuros afigura-se riqueza e sucesso, mas um legado de vingança e ganância procura-os e, eventualmente, os encontrará passados mais de trinta anos, com consequências fatais…

Jonathan Strange & o Sr. Norrell, de Susanna Clarke

Lançamento a 17 de Novembro

Sinopse:
Há séculos, quando a magia habitava Inglaterra, houve um mago que se distinguiu entre todos os outros. Chamou-se Rei Corvo, foi criado por fadas e, como nenhum outro, soube conjugar a sabedoria desses seres com a razão humana. Só que tudo se alterará a partir do momento em que um rei louco e alguns poetas mais arrojados fazem com que a Inglaterra deixe de acreditar na magia. O que acontecerá até meados do século xix, quando o solitário Senhor Norrell, de Hurtfew Abbey, que faz andar e falar as estátuas de catedral de York, acredita que poderá ajudar o governo de Sua Majestade na guerra contra Napoleão. 

Já em Londres, Norrell encontrará Jonathan Strange, um jovem, rico e brilhante (mas também arrogante), que descobre por acaso que é um mago, tornando-se seu discípulo. Os feitos de ambos haverão de maravilhar a velha Inglaterra. Até ao momento, no entanto, em que a parceria, que parecia destinada ao sucesso, virará rivalidade. É que, fascinado pela figura sombria do Rei Corvo e atraído pela sua «insensata busca» por magias há muito esquecidas, Jonathan haverá de pôr em causa tudo o que Norrell mais estimava.

Jonathan Strange e o Sr. Norrell é, pois, um romance «elegante, mordaz e absolutamente arrebatador», envolvido em grande mistério e beleza, e que agarra o leitor até à última página.

Um Cisne Selvagem e Outros Contos, de Michael Cunningham

Lançamento a 17 de Novembro

Sinopse:
Nesta obra, as personagens e os símbolos de terras muito, muito distantes, nomeadamente figuras míticas das nossas infâncias, são transformados por Michael Cunningham em histórias sublimes de revelação. Uma maçã envenenada e uma pata de macaco com poder para mudar o destino, uma rapariga cujo cabelo extraordinariamente comprido é fonte de malefícios, um homem com um braço humano e uma asa de cisne, uma casa na floresta, construída com gomas e pão de gengibre, cobertura de baunilha e caramelo. A Besta está à nossa frente na fila de pagamento de uma loja de conveniência, a comprar tabaco, enquanto o seu sorriso voraz se abre para o caixa. Um homem preguiçoso prefere viver na cave da mãe a procurar um emprego, até ao dia em que troca uma vaca por um punhado de feijões mágicos. Esta obra traz-nos também os momentos que os nossos contos de fadas esqueceram ou omitiram deliberadamente: os anos depois de o feitiço se quebrar, o momento de êxtase em que um milagre inesperado se opera ou o destino de um príncipe apenas parcialmente libertado de uma maldição.

Soberba Ilusão (Livro 3), de Andreia Ferreira

Lançamento a 17 de Novembro

Sinopse:
O fim está próximo, mas Carla não sabe. Depois da morte de Raquel, sente-se, mais do que nunca, desamparada. Concentra-se no próximo passo: expulsar o demónio Rita da sua vida de uma vez por todas. Porém, o anjo tem um plano, os demónios querem-na morta, amigos aliam-se com inimigos, e até aqueles em quem ela mais confia escondem segredos. Ela é o alvo, mas são os outros que tombam à volta dela. Tomar decisões não é tarefa fácil. Quem é aliado, quem é inimigo? Até onde vai o nosso dever para o bem maior, quando a vida de quem amamos está em jogo? Na excitante conclusão da trilogia, iniciada com Soberba Escuridão, Carla enfrenta o seu destino - as hordas do Céu e do Inferno parecem determinadas a utilizá-la quer ela queira quer não.

Marquês de Pombal - Ascenção e Queda, de Kenneth Maxwell

Lançamento a 18 de Novembro

Sinopse:
Sebastião José de Carvalho e Melo, Conde de Oeiras e Marquês de Pombal é, sem dúvida, uma das figuras maiores da História de Portugal.
Neste livro, o prestigiado historiador Kenneth Maxwell traz-nos um retrato do homem e do controverso estadista que governou Portugal entre 1750 e 1777. Admirado e repudiado é recordado, pela sua acção fundamental na reconstrução de Lisboa após o terramoto de 1755, pelas suas reformas económicas, sociais, e no campo da educação, pela criação da primeira região vinícola demarcada do mundo, mas também por ter reforçado o poder da Coroa enquanto secretário de Estado do Reino durante o reinado de D. José I. Governou com pulso de ferro, reprimindo o povo, mandando executar o duque de Aveiro, encarcerando muitos outros nobres e expulsando os Jesuítas do Reino e domínios ultramarinos.
Depois da morte de D. José em 1777, e com a subida ao trono de D. Maria I, o Marquês de Pombal é afastado e cai em desgraça, acusado de corrupção, abuso de poder e outros tipos de fraudes. Defendeu-se com firmeza, alegando que havia agido sempre por delegação da autoridade real. A rainha acabou com o processo, declarando-o merecedor de um «castigo exemplar», mas graças à sua idade avançada e estado de saúde, não se aplicaria qualquer pena.
Sebastião José de Carvalho e Melo morreu em 1782. Cinco anos depois de ter sido obrigado a abandonar o poder, mas a sua herança política chega aos dias de hoje.

O Rapaz que Venceu Salazar, de Jacinto F. Matias

Lançamento a 18 de Novembro

Sinopse:
A AVENTURA IMPROVÁVEL DE QUATRO AMIGOS QUE QUISERAM DERRUBAR A DITADURA

Na década de 1960, numa pequena vila alentejana, quatro amigos encontram-se secretamente para jogar à sueca, comer, beber e ouvir a Rádio Moscovo e a BBC. Zé Maria, Carapau, Tonico e Martinho Lutero discutem política, gastronomia, mulheres e a vida. Sem que o saibam, há um espião que regista tudo o que dizem, pondo o grupo em perigo num tempo em que a ditadura, abalada por uma guerra colonial e pelas tentativas de derrube do regime, começa a apertar o cerco com a acção dos informadores e dos agentes da PIDE.

EM TEMPOS DE DITADURA, UMA CRIANÇA OUSOU ENGANAR A PIDE

Um romance pleno de humor e de ternura sobre a vivência da ditadura e da Guerra Colonial numa pequena vila do interior alentejano, e sobre as criativas formas da subversão possível de quem nunca se rendeu. É também a interrogação de uma geração sem saudosismos nem ilusões sobre o testemunho que deixou desse tempo e sobre o tempo que lhe sucedeu. Capta magistralmente o espírito de uma época numa história com ecos de policial, em que os pequenos eventos e a vida quotidiana de uma vila perdida no mapa se tornam grandiosos, tecendo assim um retrato sobre a amizade e a dignidade, mas também celebrando aqueles que, anónimos, e arriscando perder tudo, tentaram ser livres.

No Coração do Mar, de Nathaniel Philbrick

Lançamento a 18 de Novembro

Sinopse:
No verão de 1819, o baleeiro Essex partiu de Nantucket para mais uma expedição de caça à baleia. Quinze meses depois, o impensável aconteceu: numa região remota do Pacífico Sul, um cachalote de enormes proporções provocou o naufrágio do Essex. A tripulação de vinte homens refugiou-se em três botes salva-vidas rumo à América do Sul, numa jornada épica pela sobrevivência. Três meses depois, os oito tripulantes que continuavam vivos foram encontrados à deriva. Para sobreviver, usaram todos os recursos, inclusive o canibalismo.
No Coração do Maré um relato empolgante de um naufrágio tão relevante no seu tempo como o do Titanic actualmente. A aventura do Essex inspirou Herman Melville a escrever o clássico Moby Dick.

A Juventude, de Paolo Sorrentino

Lançamento a 18 de Novembro

Sinopse:
O MUITO AGUARDADO NOVO FILME DE PAOLO SORRENTINO, AUTOR DE A GRANDE BELEZA

A amizade, o desejo, a arte, a aventura de dois amigos que desafiam a passagem do tempo.
Num hotel e spa de luxo nos Alpes suíços, os amigos octogenários Fred Ballinger e Mick Boyle reflectem sobre as suas vidas preenchidas e bem-sucedidas como compositor e realizador de cinema, acompanhados por um conjunto de outros hóspedes excêntricos e interessantes, que incluem uma lendário futebolista sul-americano, um famoso actor californiano e uma Miss Universo reinante. Ballinger está simplesmente a desfrutar a reforma, mas Boyle encontra-se a trabalhar com cinco argumentistas no seu último filme, que espera vir a ser a sua obra-prima.
Só depois de se reconciliarem com as suas musas e as suas memórias, e de fazerem as pazes com a velhice, podem os dois amigos avançar, embora com consequências inesperadas para eles… e também para nós.

A Alvorada dos Deuses, de Filipe Faria

Lançamento a 18 de Novembro

Sinopse:
No inverno de 1477, Berardo de Varatojo, padre franciscano estigmatizado, viaja para a distante Thule (Islândia) em busca de respostas para a sua crise de fé. Contudo, acaba raptado por desconhecidos antes de as conseguir encontrar, e os seus captores afirmam ser deuses, os sete destinados a sobreviver a um Crepúsculo dos Deuses de que nunca ouvira falar. Aqueles que Berardo toma por feiticeiros pagãos confessam-se numa encruzilhada, culpando o Deus cristão pelo seu dilema, e, segundo eles, o franciscano é precisamente a chave para a sua salvação, embora ele não consiga sequer conceber como.

Guia Astrológico para os Corações Partidos, de Sílvia Zuca

Lançamento a 18 de Novembro

Sinopse:
As estrelas não mentem… Os homens sim. A comédia romântica do ano.
Com 30 anos, solteira (não por escolha) e com um emprego que oferece poucas perspectivas, Alice encontra um jovem actor convencido que conhece o segredo para o sucesso: a astrologia. Ainda que céptica, decide tentar e começa a sair com homens de signos do zodíaco compatíveis com o seu. Pouco a pouco, Alice descobre que talvez o verdadeiro amor não esteja sempre escrito nas estrelas…

As Reencarnações de Pitágoras, de Afonso Cruz

Lançamento a 18 de Novembro

Sinopse:
Esta é uma recolha e um resumo poético de algumas das vidas que Pitágoras viveu ao longo dos séculos, entretecendo várias das suas mais notáveis transmigrações, num caleidoscópio de personalidades, ângulos e cores, demonstrando que cada ser humano contém em si toda a humanidade.

Seguidores

Também no Blogloving

Follow

Quem por cá passou

Este blogue não segue nem apoia o acordo ortográfico!
Todas as imagens e textos não feitos exclusivamente para este blogue, não me pertencem. Com tecnologia do Blogger.

Copyright © Gritos Mudos Published By Gooyaabi Templates | Powered By Blogger

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com