"Life feels like a midnight ride..." - SOAD

23 de setembro de 2006

'Vaidade'

Sonho que sou a poetisa eleita,
Aquela que diz tudo e tudo sabe,
Que tem a inspiração pura e perfeita,
Que reúne num verso a imensidade!

Sonho que um verso meu tem claridade
Para encher todo o mundo! E que deleita
Mesmo aqueles que morrem de saudade!
Mesmo os de alma profunda e insatisfeita!

Sonho que sou alguém cá neste mundo...
Aquela de saber vasto e profundo,
Aos pés de quem a terra anda curvada!

E quando mais no céu eu vou sonhando,
E quando mais no alto ando voando,
Acordo do meu sonho...E não sou nada!...

Florbela Espanca

I Can See You

Consigo ver-te...
Por entre palavras amenas
consigo imaginar-te...
Por entre sonhos de horror
consigo chamar-te...
Por entre milhares de homens
consigo tocar-te...

Mas saudosamente
não te vejo...
Mas estranhamente
não te imagino...
Mas loucamente
não te chamo...
Mas cruelmente
não te toco...
E não te sinto...

Até um dia
meu amor de olhos quentes,
meu amor de voz rouca e doce,
meu amor de braços fortes e meigos...
Consigo ver-te!
Até um dia...

17 de setembro de 2006

Espelho

Olha-te ao espelho
e diz-me o que vês.
O reflexo de uma mentira
ou o que realmente és?
Vejo a imagem de alguém,
algo distorcido,
o nevoeiro indistinto,
o sentir esquecido
de algo que não aconteceu...

Será real o que vês?
Ah! O remorso, a dor
de quem tu crês...
Quem és tu que me olhas,
que me fitas do outro lado do espelho?

A pressão a que me sujeitas
imagem num vidro velho...
Não te quero ver mais!
Não te olho...
Parto o espelho.

2 de setembro de 2006

'Saudade'

"Um dia a maioria de nós irá separar-se.

Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora,
das descobertas que fizemos,
dos sonhos que tivemos,
dos tantos risos e momentos que
partilhamos.

Saudades até dos momentos de lágrimas,
da angústia,
das vésperas dos finais de semana,
dos finais de ano, enfim...
do companheirismo vivido.

Sempre pensei que as amizades continuassem
para sempre.
Hoje não tenho mais tanta certeza disso.

Em breve cada um vai para seu lado, seja pelo
destino ou por algum
desentendimento, segue a sua vida.
Talvez continuemos a nos encontrar, quem sabe...
nas cartas que trocaremos.

Podemos falar ao telefone e dizer algumas
tolices...
Aí, os dias vão passar, meses...anos...
até este contacto se tornar cada
vez
mais raro.
Vamo-nos perder no tempo...

Um dia os nossos filhos verão as nossas fotografias
e perguntarão:
"Quem são aquelas pessoas?

"Diremos...que eram nossos amigos e...
isso vai doer tanto!
-"Foram meus amigos, foi com eles que vivi
tantos bons anos da minha vida!"

A saudade vai apertar bem dentro do peito.
Vai dar vontade de ligar, ouvir aquelas vozes
novamente...

Quando o nosso grupo estiver incompleto...
reunir-nos-emos para um último adeus de um
amigo.

E, entre lágrima abraçar-nos-emos.
Então faremos promessas de nos encontrar
mais vezes daquele dia em diante.
Por fim, cada um vai para o seu lado para
continuar a viver a sua vida, isolada do passado.

E perder-nos-emos no tempo...
Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo:
não deixes que a vida
passe em branco, e que pequenas
adversidades sejam a causa de grandes
tempestades...

Eu poderia suportar, embora não sem dor,
que tivessem morrido todos os meus amores,
mas enlouqueceria se morressem
todos os meus amigos!"

Fernando Pessoa

A todos vocês meus bons amigos...=)

Seguidores

Também no Blogloving

Follow

Quem por cá passou

Este blogue não segue nem apoia o acordo ortográfico!
Todas as imagens e textos não feitos exclusivamente para este blogue, não me pertencem. Com tecnologia do Blogger.

Copyright © Gritos Mudos Published By Gooyaabi Templates | Powered By Blogger

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com