"Life feels like a midnight ride..." - SOAD

26 de junho de 2006

Mentiras

Pergunto-me,
vezes e vezes sem conta,
como algo tão puro,
algo tão belo e profundo,
tão sincero e tão forte,
se dissipou como fumo...

Beijos ardentes,
corpos que se tocam,
promessas que se trocam...
Olhos que se vêem,
segredos que se escutam,
tanto e tanto que não dei...

Ah...já não contenho o riso!
Puros enganos, puras fantasias
por onde eu andei...
Tudo se perdeu assim?
Como? Se nada foi ganho...
Fui esquecida e não mais lembrada
para agora me encontrar em mim!

23 de junho de 2006

Estou...

Silêncio,
Pesa-me as palavras...
Sinto-me inquieta
nesta monotonia...
Acendo mais um cigarro,
inspiro a aura que me rodeia,
fumo a vida que por mim passa...

Consciência: paz,
finalmente estou em paz!
Estou segura do que sou,
sinto a segurança do que quero...
Sonho e vivo
porque o sonho comanda a vida...

Tenho paz,
Sou livre,
Sou eu finalmente!
E por fim a calma...

18 de junho de 2006

Adeus

Fui eu alguém para ti?
Fui eu o teu pensamento,
as tuas noites sem sono,
a tua doce lembrança?
Fui eu o teu poema,
a tua mais bela loucura,
a tua vida?

Como fui cega, hoje o sei!
Como acreditei,
tão cegamente,
em tais palavras doces?
Palavras leva-as o vento,
foi isto que contigo aprendi...

Lembro o que não quero recordar,
penso no que odeio pensar...
Quero-te fora de mim,
quero a minha mente livre!
Agora sim já o sei;
Agora a minha liberdade sou eu,
e não tu, Nunca mais!

Adeus...

14 de junho de 2006

Meu Amigo

Meu Amigo,
para ti escrevo estas linhas,
para ti que sempre me apoiaste!
Nós juntos rimos e chorámos,
por entre magoadas batalhas lutámos,
no meio de loucuras sorrimos,
e até de madrugada falámos...
É para ti meu amigo
estas simples palavras...
Tu que me deste a mão quando caí,
tu que parvoíces disseste e eu sorri,
tu que me obrigaste a reagir,
tu que para mim olhaste quando o resto do mundo adormeceu,
tu a quem não consigo fingir...
É para ti, meu Amigo
um cantinho especial em mim!
É para ti
o meu mais sincero obrigada!

=) Dedicado

A minha História de Encantar

Nos meus sonhos
é assim que o vejo:
Forte, puro, alado,
cavalgando um cavalo alvo,
vindo de inenarráveis demandas...

Une as suas mãos às minhas,
estremeço...
Olha-me tocando-me a alma,
sabe todos os meus segredos,
sabe todos os meus medos...

E num longo momento,
ainda que vago pareça,
fundem-se os nossos lábios!
Num êxtase de emoção
suga-me a alma...
Meu coração por ele bate,
por esse anjo mortal
que vagueia perdido na Terra...

Fecho o livro...
Estou novamente só!
Bela história a que li...
Bela história a que em tempos vivi...

10 de junho de 2006

Lúcida e louca...

Algo em mim me faz oscilar
entre a lucidez e a loucura...
Algo me puxa sem me mover...
Quero-te e não te chamo,
desejo-te e não te toco,
penso em ti...e não posso!

Estou lúcida e louca...
Sinto a noite tocar-me o rosto...
Com um suspiro, sem ressentimento
recordo-me do outrora.
Esgaço um leve sorriso,
fecho os olhos por momentos: Saudade!
E então acordo do meu pensamento,
acordo da minha lucidez
para esta louca realidade!

9 de junho de 2006

Momentos

Vejo-te passar na penumbra,
por entre o espesso nevoeiro
que cega a vista de quem passa...
Olho-te por momentos
até que te vejo desaparecer...
As memórias lembradas
de uma vida devassa,
passada a teu lado,
teimam em voltar.

Renuncio à beleza,
renuncio à minha felicidade por ti!
Tu que voas sem asas,
tu que crês na vida,
tu que amas o mundo!
E eu...Eu?
Nada sou por ti...

8 de junho de 2006

Um simples pensamento...

O mundo é o cemitério da alma!
A vida é algo que ninguém quer perder
sem saberem que já a perderam...
Sonhos vagueiam perdidos,
almas anseiam paz...
Corpos caem hirtos sobre o chão...
Porque não desejar a morte?
Algo tão belo e sereno,
sono tão profundo e tão calmo...
Receio da morte?
Para quê?
Se vivemos à beira do abismo...

'Tão perto e tão longe'

Por aqui fico, no teu olhar
Perco força sem resistir e sem mudar
Por aqui fico 
O tempo pára mas logo foge 
Estás tão perto e tão longe 
Se me visses o gesto não chega 
Não, não chega

Não me vês não me ouves se ao menos sonhasses
Não me vês não me ouves se ao menos sonhasses 

Por aqui fico 
Na tristeza caminho só
Sem pensar no que aprendi 
Por aqui fico
O tempo pára mas logo foge 
Estas tao perto e tao longe 
Se me ouvisses um grito nao chega
Óh! Nao chega

Não me vês não me ouves se ao menos sonhasses 
Não me vês não me ouves se ao menos sonhasses 

(...)

Hands On Approach

Esquecimento...

Penso em tudo e em nada...
Esse tudo que me destrói,
esse nada que por dentro me corrói...

Não tenho mais forças.
Minhas pernas cedem
e no chão caio...
Sinto-me sem força,
minha cabeça cede
e para o abismo descaio...

Peço um pouco de paz,
Meu coração cansado não pára...
Porque não páras de uma vez?
Porque continuas a bater?
Não faz sentido
Pois já não te sinto
e tu não me vês!

E assim estou...
Penso em tudo e em nada
e lentamente no abismo caio...

'Gritos Mudos'

Neons vazios num excesso de consumo
Derramam cores pelas pedras do passeio
A cidade passa por nós adormecida
Esgotam-se as drogas p'ra sarar a grande ferida

Gritos mudos chamando a atenção
P'ra vida que se joga sem nenhuma razão

E o coração aperta-se e o estômago sobe à boca
Aquecem-nos os ouvidos com uma canção rouca
E o perigo é grande e a tensão enorme
Afinam-se os nervos até que tudo acorde

Gritos mudos chamando a atenção
P'ra vida que se joga sem nenhuma razão

E a noite avança, e esgotam-se as forças
Secam como o vinho que enchia as taças
E pára-se o carro num baldio qualquer
E juntam-se as bocas até morrer

Gritos mudos chamando a atenção
P'ra vida que se joga com toda a razão

Tim, Xutos e Pontapés

Seguidores

Também no Blogloving

Follow

Quem por cá passou

Este blogue não segue nem apoia o acordo ortográfico!
Todas as imagens e textos não feitos exclusivamente para este blogue, não me pertencem. Com tecnologia do Blogger.

Copyright © Gritos Mudos Published By Gooyaabi Templates | Powered By Blogger

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com